Oferecimento:
Triumph Street Scrambler: moto para encarar qualquer terreno
10/08/2019 07:34:16

No final de julho, a Triumph lançou no mercado brasileiro a Street Scrambler 1200 XE, agora equipada com o motor Bonneville de 1.200 cc de alto torque, que eleva sua capacidade off-road. O modelo chegou às concessionárias com preço de R$ 59.990. Ainda em agosto, será lançada no Brasil a Street Scrambler 1200 XC, com a mesma motorização, mas com características técnicas que privilegiam seu uso em estradas asfaltadas.

Segundo a Triumph, o intervalo de acionamento de 270 graus dos motores Bonneville de 1200 cc garante um rendimento de potência suave e linear, a partir de uma caixa de marchas precisa, com 6 velocidades. O motor 1.200 fornece 90 cavalos (a 7.400 rpm).

Além disso, o motor foi ajustado para fornecer alto torque em condições off-road e redução de marcha em toda a faixa intermediária, com torque máximo de 11,2 kgfm (a 3.950 rpm). O ronco é produzido por um sistema de escape duplo, esculpido com cabeçotes e silenciadores de aço inoxidável escovado.

Como toda a nova geração da Bonneville, o motor Scrambler 1200 oferece o sistema de aceleração ride-by-wire, bem como um sistema de refrigeração líquida. A moto tem modos de condução configuráveis: “Road”, “Rain”, “Off-Road”, “Sport” e “Configurável pelo piloto”, que ajustam a resposta do acelerador, o funcionamento dos freios ABS e o ajuste do controle de tração, de acordo com as preferências do motociclista e as condições de pilotagem.

A Scrambler 1200 XE tem também o modo “Off-Road Pro”, que oferece uma configuração com maior foco off-road, para uma pilotagem avançada em aventura e scrambling. O modo “Off-Road Pro” desativa os freios ABS e o controle de tração e utiliza o mapa de aceleração Off-Road.

IMPRESSÕES

Testada em trilhas de terra da região de Algarve, no Sul de Portugal, a Scrambler XE impressionou pelo estilo, porte e altura do assento (87 cm). Ao dar “start”, o motor de dois cilindros propaga um agradável som médio-grave, que instiga o motociclista ao acelerar.

Na terra, uma boa opção é o modo de pilotagem “Off-Road Pro”, sem nenhuma interferência eletrônica para a tocada na terra. É possível deslizar pelo piso molhado, graças também aos pneus de cravo Metzeler Tourance. A moto sai de traseira nas acelerações mais irracionais. Aqui, o bicilíndrico exige baixos e médios regimes de rotação, sempre privilegiando o torque.

A moto se mantém no trilho, sem sustos e com o auxílio das suspensões de longo curso, que absorvem bem as irregularidades do piso. Já os freios, dignos de uma superesportiva – duplo e de fixação radial na dianteira e simples na traseira –, foram precisos em todas as condições de uso.

Após a trilha, chegou a hora de rodar no asfalto das estradas do Sul de Portugal e em diversas condições de piso e clima. Na maior parte do teste, a opção foi pelo modo “Road” – também foi usado o “Rain”, para pista molhada –, que ofereceu bom nível de controle. Apesar do estilo clássico, a moto se comportou como uma naked radical, atacando as curvas com agressividade.

Diferentemente da XE, a versão XC traz balança menor e ângulo de cáster mais fechado, como em uma esportiva. Essa geometria oferece mais agilidade nas mudanças de direção. Entre aceleradas vigorosas nas saídas de curva e retomadas agressivas, o motor – o mesmo que equipa a versão XE – começava a mostrar que é acima de 4 mil rpm que a brincadeira começa, já que a transferência de potência e torque do motor para a roda traseira é feita de forma quase que instantânea.

A XE é uma aventureira nata. Já a XC é para quem quer pegar a estrada para curtir o passeio com estilo, conforto e, se precisar, girar o cabo sem dó. Essa versão demonstrou ser uma devoradora de curvas. Sorte de quem busca o caminho perfeito para rodar com a nova Scrambler 1200, seja na terra ou no asfalto. (Minuto Motor/Agência AutoMotrix)