Oferecimento:
Picape Amarok: a união perfeita para trabalho e lazer
12/01/2019 11:47:38
Luiz Humberto Monteiro Pereira

O motor V6 3.0 turbodiesel é o grande responsável pelo aumento das vendas da picape Amarok, lançada em 2010. A versão queridinha chegou em fevereiro de 2018 e impressionou pelos números: são 225 cavalos de potência máxima e até 56,1 kgfm de torque, o que faz com que a gigante tenha um desempenho comparado a carros de passeio.

O motor é o mesmo usado no Audi Q7, tem injeção direta de combustível e turbocompressor de geometria variável. A potência é de 225 cv liberada entre 3 mil rpm e 4.500 rpm, e o torque chega a 56,1 kgfm a 1.500 rpm e se mantém até as 3 mil rpm.

Em relação ao 2.0 biturbo adotado nas versões mais básicas são 45 cavalos e 13,3 kgfm a mais. Há bloqueio eletrônico do diferencial, e o sistema de tração é permanente nas quatro rodas. Sua velocidade máxima é de 190 km/h, e a picape acelera de zero a 100 km/h em apenas 8 segundos. Nada mal para um veículo de 2.036 quilos em ordem de marcha.

A versão tem sistema ABS off-road e freios a disco nas quatro rodas. O sistema de frenagem automática pós-colisão é de série, assim com o controle eletrônico de estabilidade, sensores de estacionamento, câmera de ré, assistente de partida em aclives e em descida, controle de tração, indicador de perda de pressão dos pneus, air bags frontais e laterais, faróis bixenônio com luz de condução diurna em leds e sistema Isofix.

A Volkswagen Amarok V6 TDI 4Motion Highline está longe de ser barata: o preço sugerido é R$ 184.990. É mais cara que a Mitsubishi L200 Triton Sport HPE-S, mas custa menos que a Chevrolet S10 High Country, a Ford Ranger Limited e a Toyota Hilux SRX.

A BORDO

 

 

A picape tem bancos, bastante confortáveis, revestidos parcialmente de couro, com ajustes elétricos nos dianteiros. O volante multifuncional tem regulagem de altura e distância, e também abriga “shift paddles” para mudanças manuais de marchas.

Além da câmera de ré, há sensores de estacionamento dianteiro e traseiro. O ar-condicionado é digital, com duas zonas. Sensores de chuva e crepuscular são de série. O sistema de entretenimento Discover Media tem tela colorida sensível ao toque de 6 polegadas, leitor de CD, entradas para SD-Card, auxiliar e USB. 

Os 56,1 kgfm de torque e os 225 cv de potência se traduzem em desempenho em qualquer terreno. A facilidade de aceleração faz com o que o motorista esqueça de que se trata de um veículo do porte da Amarok. Sobra torque em qualquer giro, e a velocidade surge rápido sempre que se pisa no acelerador. O câmbio automático de 8 marchas ajuda a rentabilizar bem a potência e o torque, sem “lacunas” na eficiência. O sistema de tração nas quatro rodas 4Motion reforça o equilíbrio nos trechos sinuosos e no off-road.

Os recursos de auxílio ao motorista disponíveis na picape tornam a vida do motorista mais tranquila, como se estivesse no comando de um carro de passeio. Algo que, apesar da caçamba generosa e do aspecto bruto, a Amarok V6 TDI 4Motion Highline não deixa de ser.(Agência Automotrix)